O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o esporte tem sido tratado em seu governo "como política de estado, como política pública". Ao lançar o programa Bolsa-Atleta, Lula afirmou que o Palácio do Planato está aberto para receber os atletas brasileiros, independentemente de serem vitoriosos.

"Aqui nós recebemos os derrotados junto com os vencedores, sem dar a importância de que o que ganhou é melhor do que o que perdeu". O presidente afirmou que as vitórias, assim como as derrotas, são "circunstanciais". Ele lembrou a importância do esporte para incentivar ações positivas e construtivas e fortalecer a auto-estima e a disciplina dos jovens.

Ao falar do Bolsa-Atleta, Lula reconheceu as dificuldades diárias que os esportistas enfrentam e ressaltou a importância do programa para incentivar a carreira do atleta. "Falo, em especial, daqueles atletas que, embora contem com a determinação e a capacidade de atingir sucesso em competições nacionais e internacionais, ainda não contam com patrocinadores que permitam a sua efetiva dedicação aos treinos", explicou.

Com o Bolsa-Atleta, esportistas em todo o país vão receber ajuda financeira do governo federal – que varia de R$ 300 a R$ 2.500 – para que possam dedicar seu tempo a competições e ao aperfeiçoamento da modalidade que praticam. Na primeira etapa, serão beneficiados 300 esportistas que estão despontando em campeonatos e torneios nacionais e internacionais.

O benefício é mensal, com duração de um ano, podendo ser renovável, e vai favorecer atletas em quatro categorias: estudantil (R$ 300), nacional (R$ 750), internacional (R$ 1.500) e olímpica e paraolímpica (R$2.500). Para ser beneficiado, o esportista deverá atender a requisitos específicos para cada categoria, tais como idade, não ter patrocínio, não receber salário de entidade desportiva e ter aval de entidade relacionada à modalidade praticada.