Lula afirmou nesta segunda-feira (1.º), em seu discurso de posse, no Plenário da Câmara, ser preciso desatar alguns "nós decisivos" para que o País possa avançar com toda velocidade. A responsabilidade fiscal foi apontada como um de seus lemas, combinada a uma visão estratégica de desenvolvimento. "É necessária uma combinação ampla e equilibrada do investimento público e do investimento privado. Ampliar e agilizar o investimento público, desonerar e incentivar o investimento privado. Sei que o investimento público não pode, sozinho, garantir o crescimento. Porém, é decisivo para estimular e mesmo ordenar o investimento privado", avaliou.

Para atingir estes objetivos, o presidente disse que vai lançar, já neste mês, um conjunto de medidas, englobadas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo ele, uma outra lista de atividades estará em sua pauta de início de governo: realinhar prioridades; otimizar recursos; aumentar fontes de financiamento; expandir projetos de infra-estrutura; aperfeiçoar o marco jurídico; e ampliar o diálogo sistemático com as instituições de controle e fiscalização para garantir a transparência dos projetos e agilizar sua execução.