O presidente da Câmara, Aldo Rebelo, defendeu nesta segunda-feira a presença federal no estado de São Paulo, que sofre há três dias uma escalada de violência comandada pelo crime organizado. "O governo federal deve pôr à disposição de São Paulo não apenas as forças policiais, mas o próprio Exército e também os organismos de inteligência para ajudar o estado a enfrentar com êxito a ousadia do crime organizado", disse, ressaltando que as decisões do governador Cláudio Lembo também devem ser apoiadas.

Desafio comum

Aldo afirmou que a segurança pública não deve estar submetida a conveniências políticas. O problema em São Paulo, segundo ele, é um desafio comum ao governador Cláudio Lembo e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por isso, Aldo acredita que o momento requer apoio mútuo.

"Aceitar o apoio do governo federal não diminuiria de forma alguma o estado ou qualquer governante. Tenho consciência do espírito público, da capacidade e da elevada responsabilidade do governador de São Paulo, e não vou mudar essa opinião independentemente da atitude que ele vier a tomar ", afirmou.

De acordo com o presidente da Câmara, cabe a Lembo perceber o momento de usar o apoio federal: "Se ele ainda não solicitou, é porque não achou que a hora é a mais adequada."

Legislação

Aldo Rebelo lembrou que o Congresso votou, nos últimos anos, uma série de leis para melhorar a legislação penal. Ele defendeu a continuidade desse aperfeiçoamento, mas enfatizou que as medidas necessárias para combater a onda de violência em São Paulo são administrativas.

O presidente da Câmara disse que o Estado precisa estar organizado e aparelhado, e que deve existir uma integração nacional das entidades de repressão ao crime. Segundo ele, a escalada do crime organizado está relacionada ao crescimento do mercado do tráfico de drogas, à organização do crime em nível nacional e à limitação da ação das polícias estaduais.