O presidente da Casa da Moeda, Manoel Severino dos Santos, encaminhou um ofício para o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, pondo o cargo à disposição. Santos foi citado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza como beneficiário de quatro saques que somam R$ 2,6 milhões, realizados entre agosto de 2003 e julho de 2004.

Na nota, o presidente da Casa da Moeda nega "ter sacado recursos das contas de Marcos Valério ou de suas empresas" e afirma que "nunca esteve em qualquer agência do Banco Rural". Santos também diz ter pedido à Controladoria-Geral da União (CGU) uma análise de todos os atos desde que assumiu o órgão, em 22 de maio de 2003.

Ele ressaltou que a estatal não tem contrato com nenhuma empresa que tenha contribuído com a campanha eleitoral de 2002, quando coordenou a campanha da então candidata a governador do Rio e ex-ministro de Promoção e Assistência Social, Benedita da Silva (PT).