O presidente da a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Federal que investiga o tráfico de armas, deputado Moroni Torgan (PFL-CE), disse que os depoimentos de hoje (7) ajudaram a compreender como funciona o esquema que traz armamento ilegal ao país.

"Os depoimentos mostraram que existe um crime organizado no tráfico de armas e que há o envolvimento de policiais", disse. Segundo ele, os dois depoimentos serviram para explicar como funciona a organização do tráfico e como trabalham os mediadores.

Hoje depuseram Nery Homero Rossi, acusado de participar de uma quadrilha de policiais presa no Rio de Janeiro que repassava armas e munições a traficantes, e Cláudio Fonte, apontado como intermediário no tráfico de armas entre policiais do Rio de Janeiro e traficantes de drogas dos morros do Turano, Borel e Pavão-Pavãozinho. Ambos negaram qualquer envolvimento em atividades ilegais.