"Foi bom ter se dirigido à nação, não somente apresentando as realizações do governo mas, de uma certa maneira, fazendo uma autocrítica em nome do partido dele. Isso é positivo toda vez que um presidente da República reconhece erros", disse o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Felício, sobre o pronunciamento que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez na manhã desta sexta-feira.

O presidente disse que a geração de empregos formais em seu governo é motivo de orgulho em seu mandato. Foram 3 milhões e 135 mil em 30 meses, cerca de 104 mil por mês. O presidente da CUT complementou a fala do presidente afirmando que "o Brasil precisaria crescer de 5% a 6% por ano para termos a possibilidade não de cento e poucos mil empregos, mais de 150 mil por mês".

Felício disse ainda que para garantir o crescimento econômico do Brasil é preciso "reduzir taxas de juros, diminuir o superávit primário, isto é, o Estado brasileiro precisa recuperar a sua capacidade de investimento".