Além de tentar coibir a violência, a Federação Paulista de Futebol quer impedir os torcedores de falar palavrões nos estádios. É isso mesmo. Irritado com provocações da Tricolor Independente, do São Paulo, à Gaviões da Fiel, do Corinthians, Marco Polo Del Nero pretende contar com a ajuda do Ministério Público para essa missão quase impossível.

?Anotei um grito da Independente para a Gaviões repleto de palavrões. Isso suja a imagem do futebol?, disse o presidente da FPF. ?Vou passar isso para o Ministério Público. Até onde eu vi, a Gaviões não retrucou.

A idéia de Del Nero é criar um ?campeonato de torcidas?. "Aquela que fizer o cântico mais bonito, sem palavrões, ganhará um prêmio em dinheiro da Federação, Essa idéia pode ser colocada em prática ainda neste Campeonato. Dá tempo", disse o cartola.

O grito que irritou Del Nero foi uma paródia da Independente a uma das músicas mais tradicionais da Gaviões: ?Corinthians, galinha sem história, galinha sem estádio, freguês do Tricolor!".

Outra preocupação da FPF: coibir manifestações durante a execução do Hino Nacional. A torcida que desrespeitar essa norma pode ser suspensa. Neste domingo, a Gaviões fez barulho durante o Hino, gritando o nome dos jogadores.

Apesar das provocações, não houve registro de violência no estádio até o início do clássico. Fora do Morumbi, antes do jogo ?foram registradas pequenas ocorrências, nada grave?, segundo o major Botelho, responsável pelo policiamento. No total, 3 mil policiais trabalharam na segurança da partida. E o Juizado Especial Criminal (Jecrim) voltou a funcionar neste domingo, com dois juízes para punir crimes como agressões.