presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, afirmou nesta quarta-feira que não se submeterá às exigências feitas por políticos de expulsar o Irã da Copa do Mundo, como penitência às declarações feitas pelo presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad, que se pronunciou contra o direito de existência de Israel.

"Para mim, isso é algo impensável. Nunca expulsaríamos uma federação por uma ou outra declaração. Somos absolutamente neutros na política, na religião e entre ricos e pobres. Essa é a vantagem do futebol", afirmou Blatter, em entrevista publicada nesta quarta pelo jornal alemão Bild.

Blatter também declarou que não descarta adiar a data limite para a inscrição de jogadores para a Copa da Alemanha – prevista inicialmente para 15 de maio. "É algo que não está plenamente descartado", revelou o presidente.

O primeiro jogo da Copa do Mundo acontecerá no dia 9 de junho, entre Alemanha e Costa Rica, em Munique. O Brasil estréia no dia 13, em Berlim, contra a Croácia.