Rio de Janeiro – Os fundamentos da economia brasileira estão melhorando, o país está na direção correta, o emprego e o rendimento do trabalhador estão em expasão e a área externa vem registrando desempenhos significativamente melhores. Mas o país ainda precisa superar alguns desafios, como o de garantir mais investimentos e maior oferta de crédito.

A avaliação é do presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, para quem o Brasil vivencia uma combinação de fatores que tornam as perspectivas para a economia bastante favoráveis. Segundo ele, esse arranjo de fatores também existiu no passado, mas não necessariamente de forma simultânea.

?Muitas vezes o país crescia, mas crescia sem gerar emprego. Ou crescia com geração de emprego, mas convivíamos com o problema inflacionário ou ainda com um déficit em conta corrente insustentável?, disse. ?Quer dizer, esta combinação que permite a evolução em direção ao crescimento sustentado é, de fato, condição não usual na nossa história?.

Meirelles ponderou que um dos desafios refere-se à taxa de investimento, que ainda é baixa, principalmente quando comparada a economias de outros países emergentes. ?Apesar de estar crescendo, ela ainda registra patamares abaixo da média. A própria taxa de crescimento, apesar de estar avançando e em trajetória de aumento, ainda é menor que a média dos países emergentes. Nós temos ainda a questão da carga fiscal, também maior do que a média dos emergentes?.

O presidente do BC destacou como ponto favorável o fato de a disponibilidade de crédito para o total da economia, em relação ao Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todas as riquezas produzidas no país), vem aumentando acima de média comparativa, ainda que seja menor que a média dos países emergentes. De acordo com ele, até poucos anos atrás, essa relação era de 21% e hoje está próxima a 32%.

?O país está melhorando todos os seus fundamentos, mas partindo de uma base baixa e, portanto, com muito caminho à frente. A mensagem, portanto, é: na medida em que a direção está correta, temos que continuar a implementação das políticas. Não podemos ser complacentes e achar que podemos usufruir de ganhos, na medida em que a comparação mostra que temos que continuar melhorando os fundamentos de maneira que os resultados de crescimento possam estar de acordo com as nossas expectativas?.