Na festa do título ainda no gramado do Maracanã, o presidente do Flamengo, Marcio Braga, disse que o clube dará início em breve ao Projeto Tóquio 2007. Ou seja, o clube vai buscar reforços para a disputa da Copa Libertadores da América do ano que vem, visando à reedição do feito de 1981, quando o time de Zico venceu a competição sul-americana e o Mundial de Clubes. "Vamos avançar e começar a fazer um planejamento para chegarmos de novo ao topo", disse Braga.

Enquanto os jogadores recebiam medalhas de dirigentes da CBF e do ministro dos Esportes, Orlando Silva, uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida era carregada no gramado e tão reverenciada como o troféu da Copa do Brasil. Vários atletas se benziam ao tocar na imagem religiosa.

Coube ao capitão Jônatas o gesto tradicional de erguer a taça no pequeno tablado montado o estádio. Emocionado, ele dava parabéns ao time, aos dirigentes e à comissão técnica. Chegou até a parabenizar os jornalistas. Perto dele, o meia Renato, figura de destaque na competição, era só euforia. "Ser campeão é diferente. Não tem emoção igual.

Houve invasão de campo, centenas de torcedores se misturavam aos campeões e alguns pagavam promessas, de joelhos ou se agarrando a uma das balizas do Maracanã. O choro de alegria era incontido. Na arquibancada, milhares de flamenguistas cantavam o hino do clube e não deixavam o estádio. A faixa de campeão custava R$ 5 antes do jogo. Depois, passou a ser vendida por até R$ 15.