O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), disse há pouco que quer aprovar na quarta-feira a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que é votada em conjunto pelo Senado e pela Câmara.

Segundo ele, a Comissão do Orçamento ainda precisa votar alguns destaques, mas o Congresso já foi convocado e o presidente da Casa disse estar fazendo o máximo esforço para votar a matéria na quarta-feira. Segundo ele, um dos pontos mais importantes da LDO é o limite da arrecadação a 16 % do PIB e o limite das despesas.

O senador rebateu críticas de que o Congresso esteja imobilizado e atribuiu ao governo a dificuldade no andamento da agenda política e econômica, que inclui as reformas tributária e política, o marco regulatório, as Leis de Saneamento e das Micro e Pequenas Empresas, além da independência do Banco Central (BC).

"O governo tem sido passivo na condução da agenda do Brasil. Esses assuntos não são levados à frente por conta da inércia e do imobilismo do governo", afirmou o senador, que participou hoje de seminário sobre segurança jurídica na Fiesp.