O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Carvalho Vidigal, disse, nesta segunda-feira, que, pelo menos até agora, não vê qualquer fato que possa levar ao impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Tudo parece estar ligado à campanha eleitoral, antes da diplomação do presidente", afirmou o ministro, que participou na Fiesp de seminário sobre segurança jurídica.

Vidigal ressaltou, no entanto, que vê a possibilidade de suspensão do fundo partidário do PT por desvios de recursos desse fundo. "Pelo menos, é o que se fala até agora." O ministro criticou o pronunciamento de sexta-feira do presidente Lula.

"Parece que a nação queria ouvir mais. Eu, pessoalmente, gostaria de ouvir mais. Faltou convicção na fala, o gestual não correspondeu ao texto. Parece que ele tinha mais coisas a dizer" disse o ministro, logo após o encerramento de sua participação no evento.