O presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou, nesta quarta-feira, a expectativa de que seja encontrada "uma boa solução" para o caso da greve de fome iniciada há nove dias pelo bispo Luiz Flávio Cappio em Cabrobó, Pernambuco, em protesto contra o projeto de integração do rio São Francisco às bacias hidrográficas do Nordeste Setentrional.

Lula defendeu, no entanto, o avanço do projeto, dizendo que se trata de uma "obra de caráter social". Referindo-se à atitude do bispo, o presidente afirmou que "são pessoas que têm grandeza". Questionado se iria falar com o bispo, Lula esclareceu que já existem outras pessoas cumprindo essa missão.

O presidente informou que espera a aprovação do projeto de integração do São Francisco e da destinação de 0,25% do Orçamento para o empreendimento.

Quanto aos que se opõem à obra, o presidente afirmou: "Hoje vejo alguns governantes defendendo o rio, que foi abandonado por muito tempo, mas a vida inteira jogaram esgoto dentro do rio".

Lula fez as declarações ao percorrer o pavilhão de exposições do Anhembi, logo após a cerimônia de abertura da Olimpíada do Conhecimento, promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). O presidente deixou o local por volta das 14 horas, retornando a Brasília.