São Paulo (AE) – Uma mulher foi presa na madrugada de hoje, em Carapicuíba, na Grande São Paulo, suspeita de integrar a quadrilha que roubou R$ 164,7 milhões da agência do Banco Central, em Fortaleza, em agosto. Lucianne Maria de Oliveira, de 31 anos, foi denunciada por um morador do bairro de São Estevão pelo Disque-denúncia. Quando a polícia chegou ao local, a mulher tentou subornar os PMs com R$ 10 mil. Ela foi presa por corrupção ativa e levada para a Cadeia de Itapevi. Com Lucianne foram apreendidos R$ 15 mil, a origem do dinheiro ainda é desconhecida.

Ela também é investigada por fazer parte da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Lucianne é mulher do traficante Diniz Cavalcante,conhecido como Divino e integrante do PCC, que, há dois anos, está preso na Penitenciária de Ribeirão Preto, no interior. No momento da prisão, uma pessoa estava com a acusada, mas não foi presa.

Cinco pessoas já foram detidas pelo assalto em Fortaleza. Um dos mentores do maior assalto a banco da história foi seqüestrado e assassinado por policiais civis, dois suspeitos estão presos.

Hoje, o Banco Central começou a tapar o túnel por onde os assaltantes entraram em Fortaleza. O custo da obra é de R$ 17 mil. Colaborou: Carmem Pompeu, especial para o Estado.