Os detentos do presídio do Monte Santo, em Campina Grande, na Paraíba, espancaram e queimaram até a morte, na madrugada de sábado, o suspeito do estupro e assassinato de uma menina de 12 anos.

O corpo da adolescente, que estava desaparecida desde 12 de junho, foi encontrado esta semana dentro de uma fossa, nos fundos de uma residência na zona rural de Campina Grande. Um homem que morava de aluguel na residência foi o acusado de matar a menina e esconder o corpo (os médicos legistas ainda avaliam se ela foi estuprada). O cadáver foi encontrado pelo proprietário da casa, que iria fazer um reparo na fossa na ausência do inquilino.

Preso, o acusado foi levado para o presídio e colocado sozinho numa cela. Durante a madrugada, porém, os demais detentos iniciaram uma revolta, queimaram colchões, conseguiram sair das celas e chegar ao suspeito da morte da menina. Eles o levaram para o pátio do presídio, onde o lincharam com paus e pedras e o queimaram.