O ministro da Previdência Social, Nelson Machado, disse hoje (7) que o setor não é um problema explosivo para os próximos anos. "Muito pelo contrário. Nós temos todas as condições de ter um modelo sob controle nos próximos anos. Hoje, discutimos o que deve ser feito, e o que for alterado terá uma transição a longo prazo, não prejudicando assim aqueles que têm uma expectativa de direitos, afirmou o ministro ao final da primeira reunião do Fórum Nacional da Previdência Social.

O fórum, que fez sua primeira reunião, discute o aperfeiçoamento do modelo previdenciário, e deve concluir seus trabalhos no final de agosto. Segundo Machado, os direitos adquiridos dos que integram o sistema serão preservados. Não faremos nenhuma discussão ou proposta que retire o que foi conquistado. Isso está garantido, e toda e qualquer alteração na previdência terá uma transição longa, frisou. Estamos trabalhando para ter uma Previdência justa e sustentável no futuro.

Para o ministro, uma das preocupações do setor é a informalidade Garantir a inclusão desses trabalhadores, destacou Machado, é um dos grandes desafios do fórum. O Brasil tem cerca de 28 milhões de trabalhadores sem a cobertura previdenciária, que não contribuem e não serão beneficiados no futuro. Esta é uma questão que nos preocupa, e um dos aspectos de discussão do fórum, sublinhou.

Participam do fórum representantes dos trabalhadores ativos, aposentados e pensionistas, dos empregadores e do próprio governo federal. Depois de analisar os problemas e as possíveis soluções para a modernização da Previdência Social, as propostas serão encaminhadas ao Congresso Nacional.