O analista e ex-secretário de Previdência Social, Marcelo Estevão, disse que o aumento do salário mínimo não poderia ser muito maior do que os R$ 260 anunciados hoje. ?Devido aos desequilíbrios financeiros e orçamentários, a Previdência não poderia suportar um valor muito maior do que este, a não ser que aportasse recursos de outras rubricas para o financiamento de um valor mais generoso?, afirmou.

Estevão criticou, porém, o aumento dado ao salário-família, que passou para R$ 20. Na sua opinião, este valor poderia chegar tranqüilamente aos R$ 25, previstos nas contas da Previdência. O salário-família é um valor pago pelo empregador às famílias de baixa renda por cada filho menor de idade. Esse valor, depois, pode ser descontado nas contribuições previdenciárias.