Brasília – Depois de seis semanas em queda, a previsão de crescimento econômico parou de cair. Segundo o boletim Focus, divulgado nesta terça-feira (27) pelo Banco Central, o Produto Interno Bruto (PIB) deve fechar o ano com aumento de 2,76%, mesmo valor estimado na pesquisa anterior. Para 2007, a expansão prevista é de 3,5%.

Apesar de as projeções de crescimento terem se estabilizado, os analistas de mercado aumentaram a projeção para a queda de juros. De acordo com o levantamento, a taxa Selic encerrará 2007 a 11,75% ao ano. No boletim da última semana, a previsão era de 12%. Usada como parâmetro para definir os juros básicos da economia, a Selic está atualmente em 13,25% ao ano.

Elaborado semanalmente pelo Banco Central com base na expectativa de analistas de mercado e de instituições financeiras, o boletim Focus também revelou que a produção industrial deve fechar 2006 com expansão de 3,08%, contra 3,09% detectados na pesquisa anterior. Para o ano que vem, o crescimento no setor deve ficar em 4%.

Para a balança comercial, o levantamento apontou pequena oscilação para cima. No próximo ano, o superávit deve ser de US$ 38,05 bilhões, pouco maior que os US$ 38 bilhões estimados na última semana. Em 2006, as exportações vão superar as importações em US$ 45 bilhões, conforme as estimativas das instituições pesquisadas.

Essa queda no saldo comercial terá reflexo nas contas correntes ? que mede a balança comercial e despesas como remessa de lucros para o exterior, pagamento de royalties e transferências voluntárias entre países. O boletim mostrou que o superávit do indicador cairá de US$ 13 bilhões neste ano para US$ 6 bilhões em 2007.

Para os analistas, a diminuição de mais de 50% no saldo positivo das contas correntes ocorre como conseqüência principalmente do aumento das importações provocado pelo dólar. Segundo o boletim, a moeda norte-americana fechará o ano em R$ 2,15. No final de 2007, a cotação prevista é de R$ 2,25.