A primeira prévia do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculada pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), indica inflação de 0,65% em Curitiba. O levantamento foi realizado nos últimos 30 dias terminados em 8 de setembro.

O índice da primeira quadrissemana foi inferior ao calculado pelo Ipardes para o mês de agosto (0,87%). Segundo a diretora do Centro Estadual de Estatística, Sachiko Araki Lira, o grupo Transporte e Comunicação foi, mais uma vez, o que mais pressionou o índice devido a alta em seus preços. “O grupo apresentou elevação de 2,87% em seus preços, contribuindo em 0,69 ponto percentual para o Índice”, analisa.

“Caso o grupo tivesse se mantido estável, o índice da primeira quadrissemana teria ficado em -0,04%”, complementa. A pesquisa indica que a inflação na primeira quadrissemana de setembro só não foi maior devido a queda nos preços dos grupos Vestuário e Despesas Pessoais, que apresentaram variações de -2,97% e -0,67%, respectivamente.

Os itens com elevação de preços que mais contribuíram para a composição do IPC apresentaram as seguintes variações: álcool combustível (17,73%); gasolina (6%); automóvel de passeio e utilitário usado (2,09%); energia elétrica residencial (3,63%); automóvel de passeio nacional zero quilômetro (1,74%) e serviços de telefonia residencial ? fixo (3,77%). Com queda: excursão não-escolar (-21,14%).