Procuradores da República realizam neste momento ato em defesa do Ministério Público conduzir investigações criminais. Está sendo julgado no Supremo Tribunal Federal (STF) o processo do deputado Remi Trinta (PL/LA), acusado pelo Ministério Público de fraude no Sistema Único de Saúde (SUS), no Maranhão. Ele nega a acusação e questiona se os procuradores têm atribuição para investigá-lo. Dois ministros do STF já votaram a favor do deputado.

O procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, defendeu a ação do Ministério Público. ?É a voz da sociedade diante o Poder Judiciário?, afirmou.

Em nota, a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), também presentes ao ato, afirmam que as investigações conduzidas pelo Ministério Público representam um enorme avanço no combate eficaz aos crimes praticados por autoridades.