Brasília ? A produção brasileira de biodiesel poderá chegar a 1,12 bilhão de litros em 2007, superando a previsão do governo de 840 milhões de litros. Esse é o volume estimado para que o país consiga atender à exigência de adicionar 2% do biocombustível ao diesel vendido ao consumidor final a partir do início de 2008.

"Os investimentos futuros que nós já temos conhecimento no ministério sinalizam um total de 34 usinas que até 2007 terão capacidade de produzir 1,12 bilhão de litros de biodiesel num momento em que a obrigatoriedade de incorporação será de 840 milhões de litros", ressaltou o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau.

Apesar de a mistura não ser obrigatória até 2008, a Petrobras pretende começar a comercialização do produto a partir deste mês. Em cerimônia no Palácio do Planalto nesta sexta-feira (3), a empresa assinou contrato com quatro usinas ? Agropalma, Brasil Biodiesel, Soyminas e Granol ? para o fornecimento de 65,3 milhões de litros do biocombustível que será adicionado ao diesel.

A compra no valor de R$ 50 milhões foi feita através de leilão, realizado em novembro do ano passado. O biodiesel é um combustível renovável produzido a partir de plantas oleaginosas, como mamona, dendê, soja e girassol. A mistura do biodiesel é prevista pela Lei 11.097 de 2005, que determina a obrigatoriedade da adição na proporção de 2% a partir de 2008 e de 5% a partir de 2013.

Além de uma fonte renovável que pode ser estratégica para o mercado mundial, Rondeau destacou que a produção de biodiesel será importante para o consumo interno. Segundo ele, a produção descentralizada poderá diminuir custos com transporte, que chegam em municípios do Norte do país a três vezes o valor do produto. "No Norte do nosso país, onde os sistemas de geração [de energia] são todos isolados, leva-se algumas vezes 37 dias para levar o óleo diesel a partir de Manaus até o limite do Brasil com a Colômbia", explicou.