Rio de Janeiro – A entrada em operação das plataformas P-43 e P-48, nos campos de Barracuda e Caratinga, na Bacia de Campos, elevou em 7% a produção de petróleo no primeiro semestre, na comparação com igual período do ano passado.

De acordo com dados do Balanço Semestral da Petrobras, divulgado nesta sexta-feira (11), a produção dos campos nacionais atingiu uma média diária de 1,75 milhão de barris de petróleo e líquido de gás natural (LGN). A produção global da estatal chegou à média diária de 1,9 milhão de barris, com um aumento de 6% sobre 2005.

Considerada apenas a produção de petróleo do segundo trimestre, a expansão foi de apenas 2% e chegou a 1,8 milhão de barris de petróleo e LGN. A Petrobras informou que o baixo rendimento deveu-se à ?concentração de paradas programadas? para manutenção em nove unidades produtoras, nos meses de maio e junho. As paralisações, acrescenta a estatal, foram compensadas em parte pelo início de operações das unidades P-50 e a FPSO Capixaba, nos campos de Albacora e Golfinho, ambos na Bacia de Campos.

Com essas duas unidades em operação, ainda de acordo com a Petrobras, também foi compensada a queda de 15% na produção internacional, em função da ?migração dos contratos operacionais? da companhia na Venezuela, para a modalidade de empresa mista com participação majoritária da PDVSA ? a estatal do petróleo daquele país.