A produção nacional de petróleo interrompeu a seqüência de recordes e apresentou queda de 0,45% em julho, na comparação com o mês anterior. A Petrobras produziu em média, 1,747 milhão de barris por dia no mês passado, ante o recorde histórico de 1,755 milhão de barris diários registrado em junho. A produção de julho, porém, é 14,9% superior à obtida no mesmo mês do ano anterior.

A empresa já havia sinalizado que o ritmo de crescimento da produção não seria mantido, principalmente em razão de paradas para manutenção de plataformas. Os recordes foram obtidos devido à entrada em operação das plataformas P-43 e P-48 nos campos de Barracuda e Caratinga, na Bacia de Campos, que atingiram seus picos de produção em junho.

O aumento da produção, aliado à estagnação do consumo interno, é responsável pelo bom desempenho do petróleo na balança comercial brasileira. Somando o gás natural e suas atividades no exterior, a Petrobras produziu 2,286 milhões de barris de óleo equivalente por dia em julho, volume 11% maior do que o registrado no mesmo período do ano anterior.