Foto: Arquivo/O Estado

Linha de montagem do Fox: montadoras em alta rotatividade.

A produção das montadoras instaladas no país atingiu, em janeiro, 198.448 veículos, número 20,5% superior ao obtido em igual período de 2005. O volume foi o maior da história do setor em um mês de janeiro. Os dados foram divulgados ontem pela Associação Nacional de Veículos Automotores (Anfavea).

Segundo a entidade, as exportações também tiveram o melhor resultado em um mês de janeiro, com movimento de US$ 740,1 milhões, 16,8% acima do primeiro mês do ano passado. No mercado interno, foi registrado o segundo melhor volume da série histórica para um mês de janeiro, com vendas de 132,8 mil unidades. No mesmo período de 2005, foram 106,6 mil unidades vendidas.

No primeiro mês de 2006, os licenciamentos chegaram a 132.890 veículos, 24,6% mais do que no mesmo período do ano passado. Em relação a dezembro, no entanto, houve queda de 27,6%.

"Mas essa comparação não reflete a realidade de desempenho porque dezembro foi recorde", observou o presidente da Anfavea, Rogelio Golfarb. Ele informou que desde o quarto trimestre de 2005 o setor registra "um processo de aceleração", reflexo da "melhoria" da situação geral da economia, "o que deixa o trabalhador mais confortável e mais seguro para entrar em financiamentos de veículos".

Os dados divulgados pela entidade mostram, ainda, o aumento crescente das aquisições de veículos com motor bicombustível (flex), que funcionam tanto com álcool quanto com gasolina. Em janeiro deste ano, 73% das vendas foram desse tipo de veículos.

"Nossa expectativa é continuar crescendo, porque o consumidor interno adotou rapidamente essa tecnologia, que tem uma característica bem brasileira", avaliou Golfarb. "Outros países começam a olhar a experiência que temos aqui e vêem uma alternativa de combustível verde", acrescentou.

Segundo o executivo, a indústria espera manter as exportações em alta este ano, embora em um ritmo menor por causa do câmbio desfavorável. "A meta é chegar a cerca de US$ 11,5 bilhões, com alta de 2,7%", disse. A Anfavea prevê um aumento de 7,1% nas vendas ao mercado interno, com 1,8 milhão de unidades. A produção total deve crescer 4,5% e atingir 2,6 milhões de veículos.