A produção industrial manteve-se estável em setembro na comparação com agosto na série livre de influências sazonais, interrompendo uma sequência de seis meses consecutivos de crescimento nesta base de comparação. “Os índices de setembro revelam uma certa acomodação no ritmo industrial, após seis meses de crescimento consecutivo”, segundo observa o IBGE no documento de divulgação dos dados.

Na comparação com setembro do ano passado, a produção cresceu 7,6%, também interrompendo a trajetória de crescimento acima de dois dígitos que vinha ocorrendo desde junho neste indicador. Este resultado ficou dentro do intervalo de estimativas dos analistas, que ia de 4,5% a 8,6%, e pouco superior à mediana das expectativas, que era de 7,46%. De janeiro a setembro, a indústria acumulou aumento de 9% na produção e, nos últimos doze meses até setembro, houve expansão de 7,2%. Ainda segundo o IBGE, apesar da redução do ritmo industrial, os índices de média móvel trimestral, considerados o principal indicador de tendência, “mantiveram, mesmo que de forma moderada, uma trajetória ascendente em todas as categorias”.