O governo federal vai disponibilizar, a partir de hoje (17), R$ 300 milhões em empréstimos para produtores de frango fazerem a estocagem de milho. A medida vai beneficiar produtores, cooperativas e indústrias de aves e suínos, já que a garantia dada pelo milho pode ser substituída pela estocagem de frango.

A idéia do governo é garantir a compra da produção de milho e melhorar as condições dos produtores de aves e suínos. O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Ivan Wedekin, explicou que o incentivo indireto aos produtores de aves se deve à retração nas exportações brasileiras causada pela diminuição do consumo mundial de frango depois do surgimento de casos da gripe aviária.

"Por conta desse problema da gripe aviária, estamos com excedentes de aves e suínos no mercado. Essa medida visa a fornecer capital de giro para a estocagem de milho e o milho dado na estocagem pode ser substituído na garantia por estoques de aves e suínos. A criação da linha de crédito tem duplo objetivo: financiar a estocagem indireta de carnes de aves e de suínos e dar uma sustentação para o mercado de milho", explicou.

Wedekin afirmou que essa troca de garantias não é muito comum no governo e esclareceu que o valor do empréstimo pode chegar a R$ 500 milhões se houver demanda. Os produtores e cooperativas que pegarem o Empréstimo do Governo Federal (EGF) para Estocagem terão 180 dias para pagar com juros de 8,75%.