Cordas usadas para tentativas de fuga, carregador de celular confeccionado artesanalmente, equipamento usado para tatuagem, celulares, facas improvisadas e até um uniforme do PCC (Primeiro Comando da Capital) fazem parte da exposição em comemoração aos 151 anos da Polícia Militar no Paraná.

O material foi recolhido em vistorias a presídios, feitas pelo Batalhão de Polícia de Guarda (PBGd), e está exposto no Shopping Estação, em Curitiba, juntamente com equipamentos usados por outros batalhões da PM.

O Batalhão de Polícia de Guarda (PBGd) e responsável pela guarda externa e interna dos presídios em Curitiba. Além dos equipamentos usados para tentar burlar a segurança de presídios estão expostos produtos confeccionados pelos presos nas diversas oficinas. Alguns dos destaques são as bolas com guizo, usadas por deficientes visuais, e artesanato em madeira. ?Procuramos trazer um pouco do que os presos fazem, de ruim e de bom?, disse o tenente Ricardo da Costa.

A idéia, segundo o tenente, é mostrar o contraponto. ?Esta é a primeira vez que este material está sendo mostrado?, comentou o tenente. O público que esteve no Estação no primeiro dia da exposição entendeu o recado. A gerente Solange Pereira ficou surpresa ao saber até onde vai a criatividade dos presos. ?Eles sabem fazer peças lindas de artesanato, mas se ficam ociosos a imaginação vai para o lado do mau?, disse ela.

O representante comercial Luiz Gabriel fez questão de levar a filha, Amanda, para visitar o espaço do BPGd e mostrar a ela os objetos. ?Quando o governo investe na ressocialização o preso tem mais chances de sair do mundo do crime?, comentou. ?Quando bem orientados, os presos mostram que têm boa vontade em aprender a produzir e fazem isso pensando no futuro?, relatou o tenente Costa.

Exposição

O trabalho realizado pelo BPGd é apenas uma das atividades da Polícia Militar em todo o Paraná. Na exposição, o público também poderá conhecer materiais e equipamentos usados pela Companhia de Polícia de Choque, da Força Verde, Batalhão de Polícia Rodoviária, Batalhão de Polícia de Trânsito, peças do Museu Histórico da PMPR, como funciona a Academia Militar do Guatupê, bem como o Corpo de Bombeiros.

Os principais projetos colocados em prática pela Polícia Militar no dia-a-dia também podem ser conhecidos na exposição. Nos espaços reservados ao Projeto Povo (Policiamento Ostensivo Volante) e à Patrulha Escolar Comunitária o público poderá tirar dúvidas sobre a importância da parceria entre e a comunidade para solução de problemas e combate à criminalidade.