Hedeson A. Silva
Em Curitiba os manifestantes se
concentraram na Praça Santos Andrade.

Os professores da rede estadual de ensino fizeram hoje um dia de paralisação. Eles protestaram contra o veto do governo que derrubou o pagamento, retroativo a fevereiro, do reajuste médio de 33% concedido à categoria. Esse pagamento retroativo estava previsto pelo projeto inicial do plano de cargos e salários enviado à Assembléia Legislativa. No sábado, dia 27 de abril, a categoria realiza uma assembléia estadual em Londrina e pode decidir pelo início de uma greve por tempo indeterminado.

A mobilização dos professores aconteceu em todo Estado, e em Curitiba os manifestantes se concentraram na Praça Santos Andrade. Com faixas de protesto e discursos inflamados, os manifestantes seguiram pelo centro da cidade até à Assembléia Legislativa e ao Palácio Iguaçu, onde esperavam ser recebidos por algum representante do governo estadual e deputados estaduais.

Segundo o presidente da APP-Sindicato de Professores, José Lemos a categoria foi pega de surpresa com esse veto do governo.
O pagamento retroativo ao mês de fevereiro fazia parte do Plano de Cargos e Salários enviado à Assembléia no último dia 15 de março. A negociação desse plano, entre governo e o sindicato, fez suspender a greve da categoria que já estava programada para acontecer em fevereiro. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)