Os profissionais de saúde começaram a receber um manual sobre Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/Aids). Ao todo, 210 mil manuais serão distribuídos no país. Desse total, 150 mil são em formato reduzido, de bolso, para que médicos e enfermeiros possam fazer consultas rápidas.

De acordo com o chefe da unidade DST/ Aids do Ministério da Saúde, Valdir Pinto, o manual ajuda na padronização e definição de diagnósticos ou tratamentos das doenças sexualmente transmissíveis (DST/Aids). "Ele possui todas as informações sobre as DSTs. E ainda trata da relação das DSTs durante a gravidez", conta Valdir.

Segundo ele, a maior preocupação do ministério é em quebrar as cadeias de transmissão das DSTs o mais precocemente possível. "Queremos controlar as DSTs no país para evitar o maior número de infecções pelo HIV", afirma.

Valdir ressalta um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) que aponta as doenças sexualmente transmissíveis entre os problemas de saúde pública mais comuns em todo o mundo. "São registrados cerca de 340 milhões de casos por ano. As DSTs aumentam em até 20% as chances de uma pessoa adquirir o vírus da Aids", revela.

De acordo com o Ministério da Saúde, os manuais estão disponíveis nas coordenações estaduais e municipais de DST/Aids, sociedades de especialidades médicas, programas de Saúde da Mulher e de Saúde da Família, universidades, bibliotecas e na Internet, pelo endereço www.aids.gov.br.