Trabalhadores da construção civil vão trocar o martelo e o prego pelo lápis e a borracha. Através do projeto Canteiro da Educação, coordenado pelo Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe), eles vão ter a oportunidade de retomar seus estudos. A maioria deixou a sala de aula muito cedo e agora quer recuperar o tempo perdido.

A rotina de 34 funcionários da construtora Laguna vai mudar a partir de amanhã. Duas vezes por semana, os trabalhadores têm um compromisso com o saber. Alguns vão ter a oportunidade de ter o primeiro contato com o mundo das letras e outros de relembrar o que aprenderam há muito tempo.

Depois do expediente, é hora de trocar de roupa, tomar um lanche e começar a construir o futuro usando as letras como a matéria-prima. As aulas vão ser dadas por professores voluntários em uma escola que fica ao lado da empresa. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)