O Ministério Público do Rio de Janeiro apresentou, nesta quinta-feira, denúncias contra cinco policiais civis e um médico que foram citados no inquérito que investiga a morte do estudante Rômulo Batista de Melo, em Cabo Frio.

A promotora de Justiça Isabela Padilha, titular da 1.ª Promotoria de Justiça de Cabo Frio, denunciou, por crime de tortura, e pediu a prisão preventiva dos policiais civis Jayro Alexandre S. Brito, Francisco Carlos Maurício e Guilherme K. Casemiro.

Uma segunda denúncia foi oferecida contra o Delegado José Mário Salomão Omena e o oficial de cartório Cristiano dos Santos, por falsidade ideológica. E uma terceira, contra o médico Edilberto da Veiga Carvalho, lotado em um posto de urgência de Cabo Frio, por omissão de socorro, falsidade ideológica e falso testemunho. Rômulo Batista de Melo foi preso no dia 21 de janeiro, acusado de tentar roubar um automóvel.