“Não há cartel em Curitiba.” A garantia é de donos de postos da Capital e Região metropolitana, que se reuniram ontem na Câmara Municipal, com o presidente da CPI dos Combustíveis, vereador Fábio Camargo (sem partido). Segundo os empresários, o que existe é uma grande concorrência, uma vez que, proporcionalmente ao número de habitantes, a cidade tem o maior número de postos do País. “São, em média, 640 atualmente”, informaram.

No encontro, o parlamentar também recebeu diversas denúncias, como a adulteração de combustíveis com solventes, compra de álcool sem nota fiscal e postos que utilizam uma determinada bandeira, mas vendem o produto de outra procedência. “A perda das arrecadações, de impostos sonegados, chega a atingir R$ 8 milhões por mês”, afirmaram, acrescentando que “além de prejudicar o Estado e os consumidores, é uma concorrência desleal”.