O PSDB encaminhou ao corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Humberto Gomes de Barros, representação na qual acusa o PT de ter veiculado, no dia 21 de novembro de 2005, propaganda gratuita no rádio e na TV com o propósito de ridicularizar o prefeito de São Paulo, José Serra, e o governador Geraldo Alckmin.

Os advogados da agremiação, Milton Terra e Afonso Ribeiro, acusaram o PT de infringir o artigo 45, da Lei dos Partidos Políticos, e pediram ao TSE a cassação de 20 minutos do programa político em bloco em cadeia estadual a que o PT tem direito. De acordo com o PSDB , o programa do PT antecipou o horário eleitoral gratuito com temas eleitorais, visando influir na opinião dos eleitores.

De acordo ainda com o partido, durante a propaganda, foram exibidas caricaturas de Serra e Alckmin com o propósito de denegrir a imagem deles.