Brasília ? O Partidos dos Trabalhadores (PT) entrou com nova representação no Conselho de Ética da Câmara contra o deputado Onyx Lorenzoni (PFL-RS) por quebra de decoro, nos mesmos termos de representação anterior. Onyx divulgou documentos sigilosos da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios sobre o suposto uso de dinheiro do PT pelo então presidente do partido, José Dirceu.

Como há questionamento sobre a autenticidade da assinatura na representação anterior, feita pelo ex-presidente do PT Tarso Genro, o atual presidente do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP), apresentou hoje (23) um novo documento.

"Percebemos que há no Conselho de Ética um certo ânimo de discutir mais a questão da assinatura, que deve ser avaliada, se há suspeita de falsificação, mas que não é o principal", disse Berzoini. Segundo ele, se o PT fosse esperar uma decisão do conselho sobre a questão da assinatura, perderia-se mais tempo.

Com a nova representação, outro processo é iniciado, com novos prazos para defesa e indicação de testemunhas. Também poderá ser escolhido um novo relator ou mantido o atual, José Carlos Araújo (PL-BA), que já analisa a representação que está sob suspeição.

No próximo dia 7, o Conselho de Ética volta a se reunir para tentar uma saída sobre a representação original, uma vez que há laudos da Polícia Civil do Distrito Federal atestando que a assinatura do documento foi falsificada. A maioria dos integrantes do conselho defende o arquivamento dessa representação.