O estado de saúde do prefeito de Curitiba, Rafael Greca, permanece estável e o ele apresentou melhoras no quadro respiratório e uma evolução clínica favorável. As informações são do boletim médico divulgado às 17h30 desta terça-feira (3) por sua assessoria de imprensa.

O prefeito realizou exames na tarde e, segundo a nota, está mais disposto. O documento não informa previsão de alta e afirma que a equipe médica seguirá com o tratamento clínico. O próximo boletim sobre o estado de saúde do prefeito será divulgado às 13h desta quarta-feira (4).

Rafael Greca está internado desde a tarde desta segunda-feira (2) por causa de um quadro de tromboembolismo pulmonar.

Por enquanto, as visitas ao prefeito estão restritas a sua esposa, Margarita Sansone; ao secretário municipal de Saúde, João Carlos Baracho e a sua assessora Mônica Santana.

No fim da tarde desta terça-feira, Greca divulgou uma nova mensagem de voz afirmando que já caminhou pelo hospital e passou o dia despachando sentado em uma poltrona.

Despachos

Ao longo desta terça-feira (3), Rafael Greca trabalhou em alguns despachos da prefeitura de dentro de seu quarto no hospital. Segundo sua assessoria, o prefeito suspendeu a reunião para eleição do presidente do Consórcio Intermunicipal do Lixo, que estava prevista para acontecer na quinta-feira (3). A nova reunião foi marcada para o dia 25 de janeiro e o adiamento aconteceu em decorrência dos problemas de saúde do prefeito.

Greca também enviou cartões de felicitação à nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Curitiba, eleita nesta segunda-feira (2); retificou o ato de nomeação do secretário Marcello Richa, que havia sido publicado com erro; e enviou ofícios ao governo do estado referentes à cessão de uma UTI Móvel ao município.

Internamento

Greca foi internado por volta das 14h da segunda (2), depois de sua primeira manhã de trabalho na prefeitura de Curitiba. Diagnosticado e medicado, fez despachos administrativos de dentro do quarto hospitalar. José Eduardo Marquesini, médico que acompanha o prefeito, disse horas após o internamento que “o risco de qualquer evento mais sério é baixo”.

O prefeito já havia passado mal no sábado (31), um dia antes da posse. Na ocasião, ele também foi levado ao Hospital Marcelino Champagnat, mas foi liberado logo em seguida, após exames constatarem que a falta de ar relatada se tratava de um quadro de ansiedade.

“Eu me emocionei assim que vi o cenário da posse e fiquei com falta de ar. Para desespero dos adversários, estou bem”, declarou Greca no sábado.

A equipe médica negou relação entre o diagnóstico desta segunda e o quadro apresentado pelo prefeito no fim de semana.

Marquesini disse que, desta vez, Greca foi submetido a um exame de tórax que confirmou o tromboembolismo. Segundo o profissional, esse tipo de problema é causado por um coágulo que se forma nas pernas e acaba parando nas artérias do pulmão – o que causa a falta de ar. O médico disse que coágulos se formam geralmente quando a pessoa fica muito tempo numa mesma posição (em pé, por exemplo) e especulou que isso pode ter ocorrido com Greca durante a campanha eleitoral. O tratamento é feito por meio de anticoagulantes.

Diferentemente do que chegou a ser anunciado pela assessoria da prefeitura, Greca não precisou ser levado a um quarto de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele está em um quarto de observação, com monitoramento médico constante.