Foto por: Francisco Leong

O técnico português, Carlos Queiroz, considerou nesta terça-feira, após perder por 1 a 0 para a Espanha, nas oitavas de final da Copa, que a seleção espanhola “avançou com uma vitória justa”.

“Temos que reconhecer que a Espanha movimentou a bola muito bem e teve maior posse de bola, qualquer equipe que tenha isso naturalmente controla a partida”, disse Queiroz após o jogo, antes de afirmar que a “Espanha avançou com uma vitória justa”.

Portugal “jogou seu futebol habitual, pragmático, tentou contra-atacar o futebol espanhol, jogamos mais direto, tivemos muitas oportunidades, mas não tivemos sorte e não conseguimos finalizar”.

“Quando tínhamos a posse fomos capazes de penetrar na defesa espanhola de forma incisiva”, acrescentou Queiroz, que voltou a lamentar a falta de acertos.

O técnico português mostrou-se convencido de que “os torcedores de Portugal têm razões mais que suficientes para se sentirem orgulhosos do jogo de Portugal nesta Copa do Mundo”.

O treinador, nascido em Moçambique, encarou a derrota com elegância.

“Os espanhóis tiveram mais a posse de bola e desta maneira há mais chances de vencer. A Espanha dominou, e com sua maior posse e circulação da bola terminou justificando o resultado. Lamentavelmente, falhamos em várias ocasiões de gol, porque nesse aspecto a partida foi equilibrada”, destacou o técnico.

Foto por: Francisco Leong

O técnico português, Carlos Queiroz, considerou nesta terça-feira, após perder por 1 a 0 para a Espanha, nas oitavas de final da Copa, que a seleção espanhola “avançou com uma vitória justa”.

“Temos que reconhecer que a Espanha movimentou a bola muito bem e teve maior posse de bola, qualquer equipe que tenha isso naturalmente controla a partida”, disse Queiroz após o jogo, antes de afirmar que a “Espanha avançou com uma vitória justa”.

Portugal “jogou seu futebol habitual, pragmático, tentou contra-atacar o futebol espanhol, jogamos mais direto, tivemos muitas oportunidades, mas não tivemos sorte e não conseguimos finalizar”.

“Quando tínhamos a posse fomos capazes de penetrar na defesa espanhola de forma incisiva”, acrescentou Queiroz, que voltou a lamentar a falta de acertos.

O técnico português mostrou-se convencido de que “os torcedores de Portugal têm razões mais que suficientes para se sentirem orgulhosos do jogo de Portugal nesta Copa do Mundo”.

O treinador, nascido em Moçambique, encarou a derrota com elegância.

“Os espanhóis tiveram mais a posse de bola e desta maneira há mais chances de vencer. A Espanha dominou, e com sua maior posse e circulação da bola terminou justificando o resultado. Lamentavelmente, falhamos em várias ocasiões de gol, porque nesse aspecto a partida foi equilibrada”, destacou o técnico.

Queiroz defendeu Cristiano Ronaldo, que fez muito pouco nesta Copa: “ele é o nosso líder, nosso capitão, e o escolhemos pelas razões corretas, porque corresponde”.

O técnico também destacou a atuação do goleiro Miguel, que fez ótimas defesas contra a Espanha.

Os espanhóis enfrentam no sábado o Paraguai, em Johannesburgo, por uma vaga nas semifinais.