O candidato do PMDB ao governo de São Paulo, Orestes Quércia, lançou nesta quinta-feira (31) um desafio à candidatura de José Serra (PSDB). "O Serra diz que quando foi ministro da Saúde reformou e construiu 300 hospitais. Ele não fez nenhum. Se alguém me trouxer um hospital que o Serra fez em São Paulo eu dou um prêmio", afirmou hoje em Jaú.

Quércia admitiu, no entanto, que o ex-governador Geraldo Alckmin fez até mais hospitais do que anuncia em sua campanha. "O Alckmin, em dois governos, fez 22 hospitais. Como é que o Serra fez 100 aqui em São Paulo? Ele não fez nada", falou. Na sua campanha à Presidência da República, Alckmin diz que construiu 19 hospitais.

O desafio de Quércia foi lançado ao explicar porque na sua campanha ele afirma que em quatro anos de seu governo no Estado (1987-1990) fez mais do que o PSDB em 12 anos. "Fiz a metade do metrô de São Paulo. Dupliquei 1,2 mil quilômetros das grandes rodovias, o PSDB não duplicou nenhum. Construí oito mil quilômetros de estradas vicinais, o PSDB não fez nenhum metro. Fiz 43 hospitais e 643 unidades básicas de saúde", exemplificou.

Além de afirmar que o governo do PSDB no Estado desviou recursos que ele deixou por lei para casas populares, Quércia acusou o governo tucano paulista de não ter entrado na guerra fiscal e de ter perdido a autoridade diante do crime organizado. "O Estado de São Paulo ficou para trás de outros estados.

Quércia anunciou que, se eleito, fará um amplo programa de geração de empregos e afirmou que a mecanização do corte da cana-de-açúcar não pode ser feito de imediato. Conforme o candidato peemedebista, "a mecanização da lavoura canavieira precisa ser feita a médio prazo, para não onerar o produtor e não causar grande desemprego". "O governo precisa estar atento e vou, através da Nossa Caixa, possibilitar que os pequenos e médios empresários do setor possam requalificar a sua mão-de-obra quando vier o fim do corte de cana na palha", concluiu.