Foto por: Gianluigi Guercia

O técnico de Gana, o sérvio Milovan Rajevac, estimou nesta sexta-feira que seu time “não merecia perder” nos pênaltis (4-2), após empatar com o Uruguai (1-1) no tempo regulamentar e na prorrogação.

“Todo o continente nos apoiava, não merecíamos perder assim”, disse Rajevac após a eliminação nas quartas de final da Copa do Mundo.

“Nos pênaltis, os uruguaios tiveram uma vantagem psicológica. Tudo aconteceu muito rápido, inclusive pensei na possibilidade de mudar o goleiro”, explicou o ex-adjunto de Bora Milutinovic.

Rajevac se referia ao fato de os africanos deixarem escapar a classificação nos acréscimos da prorrogação, quando Asamoah Gyan cobrou pênalti sobre o travessão, após Luis Suárez evitar um gol com a mão sobre a linha, tirando uma bola de cabeça do africano Dominic Adiyiah.

“Nesse pênalti tivemos a oportunidade de alcançar as semifinais, mas não foi assim (…). Faltou sorte hoje, mas estou muito orgulhoso” com o time.

“O futebol é assim!… Foi uma partida muito difícil, dado que já havíamos jogado 120 minutos nas oitavas de final (2-1 contra Estados Unidos).

No tempo regulamentar, Gana abriu o placar com um golaço de Sullay Muntari, no final do primeiro tempo (45+2), e o Uruguai empatou logo no início da segunda etapa, em cobrança de falta de Diego Forlán (10).

Com relação à sua equipe, ficou satisfeito pela forma com que jogou esta Copa do Mundo.

“Gana jogou muito bem esta Copa do Mundo, jogamos bem em todas as partidas, mas hoje faltaram dois de nossos jogadores (Andre Ayew e Jonathan Mensah, suspensos), e nos fizeram muita falta em campo”.