Depois de receber duras críticas do vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, o mandatário do Real Madrid, Ramón Calderón, enviou uma carta ao dirigente da equipe italiana para tentar selar a paz entre as duas agremiações, segundo informou hoje o jornal espanhol As.

Na carta, Calderón escreveu que "sempre teve o máximo respeito à gloriosa história do clube italiano e que estava surpreso com a atitude do companheiro". Ainda conforme o diário da cidade de Barcelona, Calderón afirmou que o Real Madrid está "absolutamente seguro de que se trata de um clamoroso mal-entendido e que há entre os dois clubes uma boa relação, e que sempre siga desta maneira".

A rixa começou por causa da insistência dos madrilenos em contratar o meia-atacante brasileiro Kaká. O time da capital espanhola chegou a oferecer 60 milhões de euros para adquirir os direitos federativos do atleta – o ex-são-paulino renovou recentemente o seu vínculo com o Milan até 2011.

Revoltado com a possibilidade de perder um dos seus principais jogadores, Adriano Galliani atacou o clube espanhol na última quarta-feira. "Se ele saísse não seria para o Real, porque não negociamos com o tipo de gente que assumiu o clube. A maneira como eles estão se comportando não é normal?, disse.