Todos os dias a sociedade é agredida – esse é o termo – por informações estapafúrdias infelizmente embaladas numa carga de realismo cada vez mais ignóbil e fora de controle.

O site Congresso em Foco publicou em sua edição de ontem ampla reportagem com base em fatos descritos pelo deputado Neucimar Braga (PL-ES), sobre a existência da organização da sociedade civil de interesse público (oscip), a Nova Ordem, constituída por ex-policiais na maioria expulsos de suas corporações por sérios desvios de conduta, com o fim benemérito de trabalhar pela recuperação e ressocialização de bandidos de alta periculosidade, condenados pela Justiça e trancafiados em penitenciárias de segurança máxima no estado de São Paulo.

Tudo seria maravilhoso se o parlamentar não lembrasse as inegáveis evidências da infiltração do PCC na referida ONG, inclusive com o repasse do dinheiro necessário para financiar as atividades da instituição, necessariamente sob suspeita de grossas irregularidades. Apurou-se que a advogada criminalista Iracema Vasciveo, aposentada da Polícia Civil de São Paulo, de súbita notoriedade, responde por uma das diretorias da entidade. Os demais diretores são todos ex-policiais militares, civis ou federais expulsos ou aposentados, agora inspirados pela disposição de trabalhar em favor dos marginais que antes tinham a missão de combater. A advogada Iracema Vasciveo intermediou o encontro de autoridades policiais com Marcola, principal líder do PCC, na penitenciária de Presidente Bernardes, para onde o criminoso fora transferido. Essa é uma trama que a sociedade tem o direito de conhecer em todos os pormenores, doa a quem doer.