O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) decidiu manter para o dia 30 de novembro a votação, no plenário, do pedido de cassação do deputado José Dirceu. O entendimento é que a agenda da Câmara não pode se submeter à agenda do Supremo Tribunal Federal. Com essa decisão, mesmo que o Supremo não conclua o julgamento do mandato de segurança do petista contra o processo de cassação, a Câmara poderá decidir o destino de Dirceu. A votação no plenário no dia 30 só será suspensa na hipótese de o Supremo tomar alguma decisão favorável a Dirceu, antes da votação.

A decisão de Rebelo foi uma resposta à reação de ontem dos deputados da oposição, no plenário da Câmara, contra o Supremo Tribunal Federal, que está empatado no julgamento do mandado de segurança de Dirceu, contra o pedido de cassação aprovado no Conselho de Ética. Os parlamentares da oposição criticaram o julgamento do Supremo e a hipótese de a Câmara ficar à espera da conclusão do tribunal, sem poder tomar suas próprias decisões.