A Receita Federal estuda o aperfeiçoamento da fiscalização de bagagens e passageiros nos aeroportos internacionais. O secretário Jorge Rachid reuniu-se hoje com o diretor-executivo da Polícia Federal, Zylmar Pimentel dos Santos, e com o presidente da Infraero, que administra dos aeroportos, Carlos Wilson, para tratar do assunto.

O objetivo, segundo Rachid, é aplicar novos recursos tecnológicos e análise de risco na fiscalização. Uma das propostas apresentadas pela Receita prevê a utilização intensiva dos aparelhos de Raio-X, a informatização da declaração de bagagem e a eliminação de papéis, facilitando o acesso às informações por órgãos de fiscalização. O estudo ficará pronto em 30 dias.

Ontem, dentro da operação Esteira Livre, a Polícia Federal desarticulou uma organização criminosa responsável pelo envio de cocaína para a Europa, utilizando aeroportos brasileiros. Foram presas 23 pessoas, entre as quais quatro funcionários da empresa Sata, que presta serviços nos aeroportos. Segundo a Polícia Federal, esses funcionários despachavam drogas para a Europa sem que as bagagens passassem pelas esteiras de Raio-X.