Recém-graduados em instituições estaduais de ensino superior, nos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária e Serviço Social receberão durante um ano uma bolsa auxílio no valor de R$ 1.045 mil para atuar junto a agricultores familiares em regiões com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A informação foi divulgada nesta terça-feira (17), durante assinatura de convênio com cinco universidades e duas faculdades estaduais, pelo secretário Aldair Rizzi, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Segundo o secretário, a divulgação das regiões de atuação e das vagas, e mais a seleção dos candidatos e as atividades a serem executadas serão anunciadas nas próximas semanas. Ao todo, serão 93 bolsas auxílio e cerca de 21 mil pequenos agricultores familiares beneficiados pelo programa idealizado pela Secretaria, com apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Cada um dos órgãos participa com R$ 600 mil. ?Além de potencializar o aprendizado do recém-graduado, o programa também possibilita o desenvolvimento da pesquisa?, disse Rizzi. Os recém-graduados vão atuar sob orientação de profissionais das áreas afins e junto aos técnicos da Emater, informou ainda.

Conforme o reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UPEG) e presidente da Associação Paranaense de Instituições de Ensino Superior, Paulo Godoy, o programa, ?de grande alcance social?, também prevê ações de cidadania. ?É louvável?, disse ele. Godoy informou que os recém-graduados pela UEPG nas áreas exigidas pelo programa deverão atuar, entre outros projetos, com a fruticultura na região de Tibagi. ?O ideal é que os participantes formados pela UEPG atuem na própria região?, afirma.

Para o delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Reni Antonio Denardi, existem atualmente no país um número reduzido de profissionais aptos a atuar junto à agricultura familiar. Como exemplo, ele citou o município de Ortigueira, onde cerca de 800 pequenos agricultores desejam beneficiar-se do microcrédito, mas têm dificuldades quanto à orientação técnica, entre várias outras.

As universidades participantes do programa são as de Ponta Grossa (UEPG), de Londrina (UEL), de Maringá (UEM), de Guarapuava (Unicentro) e de Cascavel (Unioeste), além das faculdades estaduais de Apucarana (Fecea) e de Bandeirantes (Ffalm).