Porto Alegre (AE) – O nascimento de uma irmã pode ser a salvação do menino João Roberto Dornelles Júnior, de quatro anos. Com diagnóstico de leucemia, ele esperava há meses por um doador compatível de células-tronco. Quando a menina Kamili nasceu, há dois meses, os médicos do Hospital de Clínicas de Porto Alegre guardaram as células-tronco do cordão umbilical e descobriram que elas poderiam ser usadas para regenerar a medula óssea do irmão.

O transplante foi feito hoje. Em 30 dias os médicos começarão a observar se as células saudáveis estão se reproduzindo no corpo do menino. A operação que animou os pais João Roberto e Rosiliane foi o resultado de uma coincidência e não de um planejamento. O médico Cláudio Galvão de Castro Júnior adverte que não é recomendável que casais com problemas semelhantes tenham um filho com a intenção de salvar outro. As chances de compatibilidade entre irmãos não passam de 25%.