O Paraná está em estado de alerta contra a febre aftosa. A informação é do Departamento de Fiscalização e Sanidade Agropecuária (Defis) da Secretaria da Agricultura do estado. O registro de um novo foco de aftosa no estado do Amazonas e a situação de “emergência sanitária” decretada pelo governo de Mato Grosso do Sul, por suspeita da doença no Paraguai, levou o governo do Paraná a tomar essa precaução.

Na operação de combate à doença, o Mato Grosso do Sul já matou 84 bovinos que foram encontrados na região de fronteira sem guia de trânsito. Além disso, os casos são encaminhados à Polícia Federal para apurar crime de contrabando. A Secretaria da Agricultura também adotará esse procedimento se encontrar animais sem documentação de origem (GTA) na região de fronteira com a Argentina e o Paraguai. Para coibir a entrada clandestina de animais, o Mato Grosso do Sul já montou cinco barreiras do Exército e vai instalar outras 15 nos próximos dias.

Segundo o diretor do Departamento de Fiscalização da Secretaria da Agricultura do Paraná, Felisberto Baptista, a situação está sob controle. O estado apresenta bom índice de vacinação, mas o governo aumentou a vigilância nos municípios considerados de maior risco. A secretaria controla as barreiras interestaduais e volantes para evitar que a doença atinja o rebanho paranaense.