O rei Abdullah II da Jordânia disse que seu país deseja desenvolver seu próprio programa nuclear. A afirmação foi feita em entrevista ao jornal israelense Haaretz. É a primeira vez que o monarca jordaniano fala abertamente sobre a questão. Na entrevista, publicada hoje, Abdullah afirmou que a Jordânia, que faz fronteira com Israel e possui um acordo de paz com o Estado judeu, deseja um programa nuclear para "fins pacíficos" e que já estava discutindo o tema com países ocidentais.

"As regras que regem a questão nuclear mudaram em toda a região" afirmou o rei, notando que Egito e vários Estados do Golfo já declararam seu desejo de desenvolver programas nucleares. Embora a Jordânia preferisse conviver com um Oriente Médio livre de armas atômicas, sublinhou o rei, "todos os nossos desejos sobre esta questão mudaram".

"Os egípcios buscam desenvolver um programa nuclear. O Conselho de Cooperação do Golfo também, e nós, na verdade, estamos atrás de um programa nuclear para fins pacíficos", disse Abdullah ao jornal. Miri Eisin, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, não comentou a entrevista.