O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), considerou "insatisfatório" o depoimento prestado hoje pelo presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Paulo Okamotto. "Foi um depoimento confuso. Ele negou tudo sobre as denúncias de atividades de arrecadação ilícita de recursos nas prefeituras de São Paulo", afirmou o senador.

Em 1997, Okamotto foi acusado pelo ex-secretário de Finanças de São José dos Campos Paulo de Tarso Venceslau, de ser o articulador de um esquema ilícito de arrecadação para o Partido dos Trabalhadores (PT). Garibaldi disse que irá pedir a convocação de Paulo de Tarso à CPI. Ele foi expulso do PT, depois de uma investigação interna concluir que suas denúncias eram falsas.

O líder do PFL no Senado, Agripino Maia (RN), classificou de ?farsa? os esclarecimentos do presidente do Sebrae sobre o empréstimo do PT feito ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando ainda era candidato à Presidência da República.

"Ele pagou esse empréstimo para o presidente, mas não explica como transportou o dinheiro, onde sacou, se declarou à Receita Federal e se tem documentos que comprovem o repasse, pois não há recibo do partido", declarou. "Esse depoimento envolve ainda mais o presidente da República e é comprometedor para a sua imagem".

Agripino refere-se ao pagamento de R$ 29.436, 26 que constavam da dívida do presidente Lula com o PT. Em seu depoimento, Okamotto disse que era procurador do presidente e por isso assumiu a responsabilidade pela dívida.

O depoimento do presidente do Sebrae na CPI dos Bingos começou ao meio-dia e terminou por volta das 18 horas. A CPI do Senado investiga as casas de bingo e a relação delas com a lavagem de dinheiro e o crime organizado.