Brasília (AE) – O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) afirmou hoje esperar que o doleiro Antônio Oliveira Claramunt, o "Toninho da Barcelona", faça amanhã (20) revelações de impacto no depoimento que prestará para três comissões. Um forte esquema de segurança foi montado no Senado para o depoimento de "Toninho da Barcelona", que cumpre pena de 25 anos na Penitenciária de Avaré, no interior de São Paulo, por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e crimes tributários.

Segundo Serraglio, há cerca de um mês, quando conversou com um grupo de parlamentares da CPI, em São Paulo, o doleiro ligou o deputado José Dirceu (PT-SP) à corretora Bônus Banval. A corretora foi usada pelo ex-secretário nacional de Finanças e Planejamento do partido Delúbio Soares para repassar dinheiro ao PP e ao próprio PT. "Se ele falar e der detalhes do que ele sinalizou no depoimento em São Paulo, vamos saber muito coisa. Ele foi o único até agora que ligou o José Dirceu à Bônus Banval", afirmou hoje o relator da CPI dos Correios.

No depoimento em São Paulo, "Toninho da Barcelona" disse que conhecia detalhes das operações financeiras do PT no exterior e que sabia das remessas feitas pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e pelo presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles. De acordo com o doleiro, a legenda tinha conta clandestina no exterior, operada pelo Trade Link Bank, uma offshore vinculada ao Banco Rural e sediada nas Ilhas Cayman.

Quando a sigla queria sacar os recursos do Trade Link para usá-los no Brasil, acionava o doleiro Dario Messer, que recebia os dólares na offshore no Panamá e entregava aos petistas o valor correspondente em reais no Banco Rural, em Belo Horizonte. Segundo "Toninho do Barcelona", Marcelo Viana, que era funcionário dele, fazia entregas de dinheiro da agremiação na Câmara da capital paulista. Outra doleira, de acordo com a versão de "Toninho da Barcelona", faz parte do esquema petista, é Nelma Cunha, da Havaí Câmbio e Turismo, de Santo André, no Grande ABC (SP).

O depoimento de "Toninho da Barcelona" foi marcado pela CPI dos Bingos. Mas integrantes das comissões dos Correios e do "Mensalão" participarão da audiência. A previsão é que ele chegue amanhã pela manhã a Brasília. "Toninho da Barcelona" virá acompanhado de dois agentes da Polícia Federal (PF). "Ele poderá explicar com detalhes toda a compra de dólares que o PT trazia para o Brasil. Ele conhece bem as operações com o Trade Link Bank", afirmou o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA), um dos integrantes da CPI dos Correios.

Quarta-feira (21), as comissões dos Correios e do "Mensalão" ouvirão, em sessão conjunta, o banqueiro Daniel Dantas, dono do Banco Opportunity. Os integrantes das duas CPIs vão querer saber o motivo de Daniel ter depositado R$ 145 milhões nas contas das agências de publicidade SMP&B e DNA Propaganda, do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O banqueiro afirma que os recursos foram para pagar o trabalho de publicidade feito pelas agências para a Telemig Celular, Amazônia Celular e Brasil Telecom, controladas por ele. "Nós ainda não temos um parâmetro para saber se esse valor de R$ 145 milhões foi exagerado ou não para pagar trabalhos de publicidade", observou Serraglio. Os integrantes da CPI também querem ter detalhes da ligação do banqueiro com os fundos de pensão.