Se depender do substitutivo prévio apresentado hoje pelo deputado Nilson Mourão (PT-AC) ao Projeto de Lei 4679/01, as indústrias de trigo precisarão adicionar farinha de mandioca apenas à metade do trigo destinado à produção de pão francês no País. O projeto original, do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), torna obrigatória a adição de 10% de farinha refinada, de fécula ou de raspa de mandioca à farinha de trigo de uma maneira geral. Mourão sugeriu a mudança acolhendo pedido das indústrias de trigo, que se mostraram contrárias ao projeto.

Além de restringir a adição da farinha de mandioca, Nilson Mourão sugere a concessão de incentivo fiscal aos moinhos que comprarem mandioca produzida no Brasil. Ele ressalta que incorporou a maioria das sugestões apresentadas por parlamentares, mas diz que o texto ainda poderá ser aperfeiçoado e está aberto a novas propostas.

O relatório definitivo poderá ser apresentado na próxima semana.

Importação

O objetivo do projeto é estimular a produção nacional de mandioca e substituir parte da importação de trigo. No entanto, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria, Marcos Salomão, disse que o setor não concorda com nenhuma obrigatoriedade. "Qualquer coisa que venha sob forma obrigatória vai prejudicar o nosso setor, os produtos e o consumidor, pois é uma distorção de mercado querer que um setor cresça nas costas de outro", criticou.