A ampliação da remuneração dos professores e a atenção ao ensino médio são desafios para a educação brasileira na opinião do ministro da Educação, Fernando Haddad.

O ministro participou na manhã desta quarta-feira (17) em Curitiba da abertura do SalaMundo Curitiba 2011, evento promovido pela prefeitura e pelo Grupo Positivo para discutir o futuro da educação no País.

Para Haddad, houve avanços na educação na última década, como a evolução da qualidade do ensino básico e expansão da educação superior e técnica no País. O ministro alertou, no entanto, que os governos estaduais precisam investir mais no ensino médio.

“O ensino médio ainda esta devendo uma melhora e governadores ainda têm que se voltar um pouco para esta fase, que é um momento decisivo na vida dos jovens. Momento que ele está fazendo suas opções, escolhendo seus caminhos e as oportunidades aí precisam ser ampliadas”, reconheceu.

O ministro assumiu também um discurso que agradou os profissionais da educação. Haddad ressaltou, durante sua palestra para um auditório lotado, que outro desafio da educação é a remuneração dos professores, que precisa ser ampliada e se equiparar ao ganho salarial de médicos e outras categorias profissionais.

O ministro defendeu também uma ampliação do valor que deverá ser investido em educação pelo poder público, índice que será determinado pelo Plano Nacional de Educação em discussão no Congresso Nacional. O projeto de lei, enviado ao Legislativo pelo governo federal, prevê um investimento equivalente a 7% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, mas setores da sociedade ligados à educação exigem que esse investimento seja de no mínimo 10%.

“A sociedade clama por 10% e eu espero que o Congresso aprove um percentual que dê robustez às demais áreas do plano, principalmente a valorização do professor”, defendeu o ministro.

Haddad afirmou também que o Brasil tomou um gesto corajoso ao fixar metas de qualidade para a educação e garantiu que as metas estão sendo cumpridas por estados e municípios. “Nós estamos muito aquém ainda dos nossos objetivos para 2021, mas estamos no presente momento cumprindo as metas que são anunciadas a cada dois anos”, comentou.

Como avanço na educação, Haddad citou ainda a construção de 218 institutos federais de ensino durante o período do governo Lula e o anúncio, feito pela presidente Dilma Roussef, de outras 204 instituições. “O que nós pretendemos é que os prefeitos acelerem o processo de transferência dos terrenos para que as licitações possam acontecer e as obras se iniciarem”, pediu.

Entre os bons exemplos paranaenses, o ministro destacou a expansão da rede técnica estadual e a educação técnica a distância, que estariam servindo de base para programas federais e sendo disseminados em outros estados.